Fórum de Cultura dos Indígenas debateu sobre a importância dos ‘Povos Originários’

Fórum de Cultura dos Indígenas debateu sobre a importância dos ‘Povos Originários’

A Casa da Cultura foi palco de histórias contadas em rodas de conversa, livros disponibilizados, rituais de danças e objetos de arte de nativos brasileiros, envolvendo estudantes e público em geral

Nesta semana em que se comemora o ‘Dia dos Povos Indígenas’ (19/04), a Prefeitura de Matão, através da Secretaria de Educação e Cultura realizou o ‘Fórum’, que reuniu grupos étnicos para diálogos sobre a importância da valorização em reforço a identidade nativa brasileira, nos dias 14, 17, 18 e 19 de abril.

“Consideramos importante receber em nosso município os grupos indígenas para conversar sobre suas culturas, pois somos um povo miscigenado, com raízes europeias, africanas e principalmente indígena. Conhecer a cultura indígena significa valorizar nossa ancestralidade. Parabéns a todos que participaram e contribuíram com o Fórum!” Salientou o prefeito, Cido Ferrari.

O evento contou com a visitação e participação de estudantes e professores da rede pública municipal, sendo que o Ensino Fundamental da Escola Municipal Adelino Bordignon foi desafiado a produzir um ‘trabalho’ sobre ‘Cultura Indígena’.

Na segunda-feira (17/04) houve uma ‘Roda de conversa’ mediada pela autora do livro ‘Os povos nativos’, Nimuemdaju Oliveira. A matonense assina a obra em parceria com o poeta Eduardo Waak e seu filho que também é ilustrador, Ipojucã Villas Boas.

“Falei para os jovens presentes sobre o processo de criação da obra, a importância desta para a literatura indígena, pois temos pouco acervo literário no Brasil e se faz necessário compartilhar nossas raízes com as gerações futuras”, relatou a autora.

Ainda no dia (17/04) o casal indígena, Fabiana Damaceno e William Adilson da Aldeia T.I. Vanuire, conversou com os jovens estudantes e professores da Escola Municipal Adelino Bordignon sobre ancestralidade e Cultura Indígena Krenak’.

“Reforçar a cultura por suas raízes é o trabalho do Departamento de Cultura e é o que estamos fazendo. Apanhando o momento histórico em que está instituído o Ministério dos Povos Indígenas, junto a outros Ministérios importantes que pautam políticas afirmativas no Brasil, de maneira inaugural, abrem caminho para refletirmos cada vez mais sobre o quanto precisamos aprender com a sabedoria dos povos indígenas, afinal, parafraseando Ailton Krenak ‘[…] o futuro é ancestral: ou tomamos consciência de que temos que aprender com nossa ancestralidade para construir o futuro, ou o futuro nos dizimará]’. Precisamos ampliar nossa escuta junto à natureza, e essa sabedoria é ancestral, é indígena, e deve ser uma construção nossa, dia a dia, e não apenas no dia 19 de Abril”, refletiu o diretor de Cultura, Juliano Jacopini.

O vasto repertório seguiu com apresentação de cantos e danças, momento em que os grupos indígenas convidados relataram sobre a história de seus povos e aldeias. A comunidade T.I. Vanuire, por exemplo, abordou sobre a influências dos povos originários na cultura brasileira e a contribuição com a musicalidade brasileira.

No dia (18/04) o grupo Sabuká Kariri Xocó, originários do ‘Povo Indígena Kariri Xxocó’, apresentou cantos e danças tradicionais, com falas do Cacique Kayrá Tinga, além de exposição e venda de artesanatos produzidos pelo grupo.

E, no dia (19/04) foi aberta na Casa da Cultura a ‘Exposição de Literatura Indígena’, para a qual foi disponibilizado vasto acervo da Biblioteca Pública Municipal Profa. Maria de Lourdes Lian. A exposição apresenta livros infanto juvenis e adultos, escritos por autores indígenas nacionais e internacionais, cujas obras podem ser emprestadas para leitura a qualquer tempo.

EXPOSIÇÃO DE LITERATURA INDÍGENA


Acervo da Biblioteca Pública Municipal Profa. Maria de Lourdes Lian

LIVROS – AUTOR(ES)
• Histórias que Eu Vivi e Gosto de Contar v.1 e v.2 – Daniel Munduruku
• Um Estranho Sonho de Futuro: casos de índio – Daniel Munduruku
• O Sinal do Pajé – Daniel Munduruku
• A Primeira Estrela que Vejo é a Estrela do Meu Desejo: e outras histórias indígenas de amor v.1 – Daniel Munduruku
• Outras Tantas Histórias Indígenas de Origem das Coisas e do Universo v.2 – Daniel Munduruku
• Tempo de Histórias – Daniel Munduruku
• O Sumiço da Noite – Daniel Munduruku
• Coisas de Índio – Daniel Munduruku
• O Homem que Roubava Horas – Daniel Munduruku e Janaina Tokitaka
• Formigueiro de Myrakãwéra – Yaguarê Yamã
• Kurumi Guaré no Coração da Amazônia – Yaguarê Yamã
• Contos da Floresta – Yaguarê Yamã
• Mãe D’Água: uma história dos cariris – Tkainã e Laura Bacellar
• O Menino Batovi e Kupana, a Planta Sagrada – Walde-Mar de Andrade e Silva
• Boloriê: a origem dos alimentos – Ariabo Kezo
• Cabeça Oca, Cabeça Seca – Franco Vaccarini (Edição Bilíngue Tupi-guarani/Português)
• O Piá e seu Bezerro Azul – Ibiapaba Martins
• A Terra dos Mil Povos: a história indígena do Brasil contada por um índio – Kaka Werá Jecupé
• No Tempo do Verão: um dia na aldeia Ashaninka – Rita Carelli
• Lendas de Amor dos Índios Brasileiros – Katia Canon
• Juntos na Aldeia – Luís Donisete Benzi Grupioni
• O Tupi que Você Fala – Cláudio Fragata

Compartilhe
Notícias Relacionadas

Vagas PAT Matão

16/04/2024 1) MECÂNICO DE MANUTENÇÃO CURRÍCULO PARA: financeiro@cardimix.com.br ESCOLARIDADE NÃO...

Vagas PAT Matão

12/04/2024 1) MECÂNICO DE MANUTENÇÃO CURRÍCULO PARA: financeiro@cardimix.com.br ESCOLARIDADE NÃO...

Acesso Rápido

Abrir bate-papo
Escanear o código
Olá 👋
Podemos ajudá-lo?