Prefeitura assina convênio com a APAE para atendimento especializado às pessoas com TEA

Prefeitura assina convênio com a APAE para atendimento especializado às pessoas com TEA

O evento ocorreu esta semana no Gabinete do prefeito e contou com a presença de diversas autoridades, o secretário da Saúde Orivaldo Reguin (Faro), diretores e servidores da área da Saúde, o representante da APAE, senhor Manoel Braga, os vereadores Paulo Bernardi, Davison Sansei e Aroldo Gago.

Com investimento de aproximadamente R$ 1.500.000,00, o ‘Centro de Atendimento à Pessoas com Espectro Autista de Matão’ (CATEAMA) contará com equipe técnica multidisciplinar de saúde mental e psicológica (psiquiatra, neuropediatra, psicopedagogo, fisioterapeuta, fonoaudiólogo, psicólogo, assistente social, terapeuta ocupacional, educador físico, etc).

A instalação da infraestrutura do CATEAMA e o projeto que prevê atuação baseada em metodologia especializada de trabalho já estão em andamento. O novo serviço da Prefeitura funcionará na Rua Cesário Mota, no Centro, (antigo prédio da Farmácia Municipal).

Para o prefeito Cido Ferrari, “tudo indica que o CATEAMA realizará um excelente trabalho, já que foi criado com a colaboração de vários órgãos e equipes profissionais experientes, com a participação dos Conselhos, bem como uma escolha assertada do local onde será a sede e a formação das equipes de profissionais, que atuarão frente ao atendimento das pessoas com TEA e suas famílias”.

“Acreditamos que a APAE possui competência e experiência, suficientes, para prestar esse atendimento junto a pessoa com autismo e dessa forma nosso município servirá de referência até mesmo para outros lugares”, salientou o prefeito Cido Ferrari.

A implantação do CATEAMA está prevista na Lei Municipal 5.752, construída ‘há muitas mãos’, seja pelo poder Executivo, Legislativo, Ministério Público, APAE e profissionais da Saúde do município. A iniciativa está em consonância com a Lei Federal 12.764/2012, que dispõe sobre a instituição de políticas públicas, que visam a garantia, proteção e ampliação dos direitos das pessoas com TEA.

De acordo com o secretário de Administração e Finanças, Willian Di Gaetano Bassi, _“a avaliação e aprovação dos Conselhos, que resultou na escolha da APAE para desenvolver esse atendimento especializado, se deu a partir de um processo democrático, que considerou principalmente o aumento da demanda e necessidades das pessoas com TEA e suas famílias”, ressaltou Willian.

Como a Secretaria de Saúde atua frente ao TEA?

Conforme esclareceu o secretário de Saúde Orivaldo Reguin (Faro), a rede psicossocial de atendimento à saúde mental em Matão já tem desenvolvido um bom trabalho de atendimento a pessoa diagnosticada com TEA, através do Ambulatório de Saúde Mental e o Centrinho (atendimento às crianças).

Entretanto, se faz necessário avançar para o nível de um atendimento especializado em diagnosticar e tratar complexidades, sobretudo quando constatamos que cada pessoa com TEA apresenta um tipo diferente de demanda e necessidade e por isso os métodos de atendimento devem ser variados, de acordo com a necessidade de cada paciente”,_ explica Faro.

Atualmente, como funciona o atendimento às crianças com TEA matriculadas na rede municipal de ensino?

Periodicamente ocorrem ‘formações continuadas para professores’ da rede pública municipal, realizadas pela Secretaria de Educação e Cultura, voltadas aos educadores do NAE-Lume, do Centro de Reabilitação Infantil e da Associação de Pais dos Excepcionais (APAE), mediadas pelo Gerente de Educação Especial, Luiz Fernando Zuin.

Segundo o Departamento de Educação somente na rede municipal existem pelo menos 114 estudantes diagnosticados com TEA que são atendidos pelas escolas da Prefeitura, sendo 75 crianças (Educação Infantil); 24 crianças (Fundamental I); 15 adolescentes (Fundamental II).

De acordo com Luiz Fernando Zuin, diante de um diagnóstico de TEA os profissionais têm trabalhado os instrumentos de rastreio denominado ‘Inventário Dimensional de Avaliação do Desenvolvimento Infantil’ (IDADI), que é um instrumento multidimensional de avaliação do desenvolvimento infantil e que dentre suas principais aplicações destacam-se a avaliação de suspeita de atrasos ou de transtornos do neurodesenvolvimento, o monitoramento longitudinal do desenvolvimento infantil e o acompanhamento da efetividade ou eficácia de intervenções na primeira infância.

Ainda segundo o gestor de Educação Especial da Prefeitura, Zuin, _esse referido instrumento pode ser utilizado por profissionais da área de saúde e educação que atuam na infância”._

A capacitação de professores tem abordado também, a ‘Escala de Responsividade’, chamada ‘SRS-2’, que é um método científico destinado a mensurar sintomas associados ao Transtorno do Espectro Autista (TEA), bem como a classificar os níveis de apoio.

Compartilhe
Notícias Relacionadas

Vagas PAT Matão

12/04/2024 1) MECÂNICO DE MANUTENÇÃO CURRÍCULO PARA: financeiro@cardimix.com.br ESCOLARIDADE NÃO...

Acesso Rápido

Abrir bate-papo
Escanear o código
Olá 👋
Podemos ajudá-lo?