Esquetini não autoriza reajuste na água e proíbe aumento durante a pandemia

Esquetini não autoriza reajuste na água e proíbe aumento durante a pandemia

Águas de Matão apresentou reajuste de 20,92% para 2021 e prefeito deu negativa para aumento; decreto municipal também proíbe reajuste enquanto perdurar a pandemia

Na última semana, novos boatos a respeito do aumento da tarifa de água começaram a circular em Matão. Tendo em vista o ano marcado pela pandemia e o aumento geral no preço de produtos e serviços no decorrer de 2020, a proposta de reajuste era aguardada pelo Executivo Municipal. Contudo, ao chegar às mãos do prefeito Edinardo Esquetini, não foi aceita.

Em reunião com o secretário de Meio Ambiente, Saneamento e Recursos Hídricos, Marcelo Favaro Orvietti, para tratar do assunto relacionado ao aumento do proposto pela concessionária Águas de Matão, Esquetini deixou claro que um novo valor pelo metro cúbico não será autorizado nesta gestão e, portanto, o reajuste tarifário de mais de 20% no preço dos serviços executados pela empresa não entrará em vigor até 31 de dezembro 2020.
De acordo com o secretário de Meio Ambiente, Marcelo Favaro Orvietti, muitos fatores fizeram com que a gestão decidisse não aprovar este aumento no atual cenário. “Em um momento desses, de completa exceção e com medidas duríssimas sendo tomadas pelos governos, as quais estão penalizando sobremaneira não somente as pessoas mais pobres, mas também a classe média, pequenas e médias empresas, aplicar na íntegra o índice IGPM-FGV previsto no contrato de concessão é descabido. Se fizéssemos isso, permitiríamos um grande aumento nas tarifas de água e esgoto no momento em que todos encontram dificuldades para manter seus empregos e até mesmo comprar produtos essenciais como alimentos. Embora seja contratual, é descabido. Por isso, o prefeito Edinardo decidiu por conta própria não decretar este aumento”, destaca Marcelo.
Nas palavras do prefeito Edinardo Esquetini, o reajuste se tornou algo impossível, dado que o país, estado e município estão em estado calamidade pública de saúde. “A empresa Águas de Matão solicitou um reajuste de 20,92%, encaminhado para a Secretaria de Meio Ambiente. No entanto, o decreto municipal nº 5.203/20 que está em vigor até o dia 31 de dezembro informa que Matão se encontra em estado de calamidade pública. Essa situação não nos permite dar nenhum reajuste de tamanha magnitude. É importante reforçar a toda população matonense que este prefeito em exercício, José Edinardo Esquetini, não vai autorizar nenhum reajuste na conta da água durante o seu mandato, que se encerra em 31 de dezembro de 2020. Além disso, baixamos um decreto proibindo o reajuste durante o período da pandemia, como forma de proteger a população de mais prejuízos”, finaliza Esquetini.

Compartilhe
Notícias Relacionadas

Vagas PAT Matão

16/04/2024 1) MECÂNICO DE MANUTENÇÃO CURRÍCULO PARA: financeiro@cardimix.com.br ESCOLARIDADE NÃO...

Acesso Rápido

Abrir bate-papo
Escanear o código
Olá 👋
Podemos ajudá-lo?